1º hackathon do Porto de Santos acontece em dezembro

A Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (ABTRA) promove, entre os dias 6 a 8 de dezembro de 2019, o 1º Hackathon do Porto de Santos. O evento, comum no universo de inovação e tecnologia, é uma “maratona” na qual equipes multidisciplinares participam de uma competição para o enfrentamento de desafios que vão resultar em soluções tecnológicas e de inovação.

O 1º hackthon do Porto de Santos integra as ações comemorativas dos 30 anos de atuação da ABTRA e será realizado no Comfort Hotel, durante três dias e três noites, com organização da empresa Zero Treze Innovation Space. O apoio institucional é da Alfândega da Receita Federal do Porto de Santos, da Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP), da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) e do Ministério da Agricultura (MAPA)/Vigiagro Santos.

“Queremos com esse evento contribuir para elevar a transformação digital do Porto de Santos a um novo patamar”, afirmou o presidente da entidade, Bayard Umbuzeiro Filho. Segundo o diretor-executivo da ABTRA, Angelino Caputo, a ideia é mobilizar toda a comunidade portuária e envolver os associados e parceiros, inclusive para atuar no hackathon como mentores, dando suporte técnico às equipes no desenvolvimento das soluções.

Os vencedores receberão prêmios em dinheiro, sendo R$ 60 mil para a 1ª equipe colocada – o maior prêmio em dinheiro já oferecido nesse tipo de competição no Brasil! – e R$ 12 mil para a segunda colocada. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até 06/11/2019 no site: portohacksantos.com.br .


Viracopos: Aeroporto registra queda no número de importações e exportações

De acordo com dados divulgados pela Aeroportos Brasil, a movimentação de importações e exportações em Viracopos registrou queda no acumulado dos nove meses do ano, em comparação ao mesmo período de 2018.

O balanço, de janeiro a setembro de 2019, apontou que o Terminal de Cargas exportou 47,1 mil toneladas. No mesmo período do ano passado, a movimentação para fora do Brasil foi de 64,7 mil toneladas. Uma redução de 27,1%. Já nas importações, a queda foi de 14,4%. Ainda segundo a concessionária, o valor consolidado das remessas expressas também caiu 11,6% e passou de 4,5 mil para 4 mil toneladas em um ano.

A concessionária informou que a diminuição do volume de cargas está diretamente ligada à queda do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e regional. Além disso, a redução no potencial de investimento das indústrias, que gerou o maior número de demissões dos últimos sete anos em agosto na região de Campinas, também contribuiu para a mudança.


Carga Rodoviária: Volvo avalia produzir modelo de caminhão elétrico no Brasil

O caminhão FL da Volvo, modelo 100% elétrico e que já é vendido pela montadora na Europa, pode passar a ser produzido no Brasil, segundo maior mercado da marca sueca, atrás apenas dos EUA.

O presidente mundial do Grupo Volvo, Martin Lundstedt, afirmou durante visita à Fenatran (Salão do Transporte Rodoviário de Carga), que o produto será o mesmo da Europa, mas com desenvolvimento local para atender particularidades do mercado brasileiro. Lundstedt também afirmou estar otimista com a recuperação das vendas no País, o que colocou a subsidiária brasileira novamente na segunda posição entre os maiores mercados da marca. No pior momento da crise econômica, entre 2016 e 2017, o Brasil ficou em sexto lugar. “Vamos intensificar as vendas do elétrico (na Europa) em 2020 e, quando acharmos que é o momento, vamos ter produção local”, disse.

O caminhão elétrico da Volvo para o transporte de carga tem capacidade para até 16 toneladas de carga e a FE para até 27 toneladas para uso na distribuição de produtos e coleta de lixo.


Infraestrutura: Investimento para transporte em 2020 será o menor em 16 anos

O orçamento previsto pelo governo federal para investimento em infraestrutura de transporte em 2020 será o menor em 16 anos. Estão estimados pelo Ministério da Infraestrutura R$ 5,29 bilhões, de acordo com o PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual) do próximo ano, em todas as modalidades de transporte.

O cenário de retração já ocorre desde 2010, com queda de 57,3% nesse período. Desde 2004, quando o valor foi R$ 4,75 bilhões, a área de infraestrutura não havia recebido tão baixo investimento.

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) é responsável por alocar cerca de 85% dos investimentos do Ministério da Infraestrutura e a maior parte desses recursos é destinada para as rodovias.

O presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Vander Costa, destaca que “o baixo orçamento prejudica o setor, pois eleva o custo do transporte e reduz a nossa competitividade”. O último Plano CNT de Transporte e Logística, de 2018, estima que, somente para o modal rodoviário, o Brasil precisa investir R$ 496 bilhões em 981 projetos estruturantes. São necessários R$ 1,7 trilhão em mais de 2.600 intervenções para todos os modais (rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo).


DHL Express inaugura primeira loja própria em Campinas

A fim de aproximar seus serviços do consumidor final, a DHL Express inaugurou mais uma loja com sua bandeira, desta vez em Campinas (SP), no bairro Cambuí. Antes, a cidade contava somente com agentes autorizado de envios, além da filial do seu escritório e centro operacional e o gateway internacional de entrada e saída de remessas no Aeroporto de Viracopos.

Aberta no último dia 2 de outubro, a loja funciona entre 8 horas e 20 horas, sendo um ponto de serviço para que os clientes possam realizar envios internacionais e nacionais expressos. A decisão de investir na estrutura própria veio após análise de mercado e da base de clientes da companhia, que indicaram uma alta concentração de consumidores e, consequentemente, demanda de entregas expressas na cidade e região.

“Sabemos do potencial do município e por isso buscamos aproximar ainda mais nossos serviços da população, facilitando seu dia a dia ao simplificar o envio de remessas nacionais e internacionais, isso tanto para empresas quanto pessoas físicas”, explica a diretora de Comercial e Marketing da DHL Express, Patrícia Starling.