Leilão do primeiro polo privatizado sofre atraso

A previsão é de que o Aeroporto Internacional São Gonçalo do Amarante, instalado em uma área de 15 milhões de metros quadrados, entre em operação em 2014 e abrigue o maior terminal de cargas da América Latina e sétimo maior do mundo.

A obra está estimada em R$ 650 milhões. O terminal de cargas deverá ser inaugurado no mesmo ano, com demanda de 5.300 toneladas de carga e capacidade de 7.900 toneladas até 2024, quando atingirá a casa das 13.500 toneladas por ano, segundo estudo da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Leia mais


Porto seco em Goiás acumula 12 mil toneladas de carga parada

O Porto Seco Centro-Oeste, que fica em Anápolis (a 62 km de Goiânia) e é o maior do interior do país, está com 12 mil toneladas de cargas acumuladas há duas semanas. O terminal alfandegado, o terceiro maior do Brasil na sua categoria, responde pela circulação de mercadorias para importação e exportação e integra os sistemas ferroviário, rodoviário e aéreo.

O acúmulo de mercadorias ocorreu devido a uma interrupção na ferrovia Centro-Atlântica, causada por um descarrilamento e pelo excesso de chuvas. A ferrovia voltou a operar nesta semana. Ainda assim, o envio e recebimento de mercadorias somente deverá ser completamente normalizado em 15 a 20 dias. Leia mais


Alckmin sinaliza reajuste do pedágio para junho

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), sinalizou que será definida em junho a alteração do indicador de reajuste dos preços dos pedágios de rodovias estaduais, dias antes da data de ajuste anual, em 1º de julho.

Após evento, na capital paulista, o governador não garantiu se será adotado um índice específico que leve em consideração os custos relativos a rodovias, o que vem sendo estudado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A tendência do governo estadual, caso não seja criado a tempo o novo indicador, é de que seja adotado o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), em substituição ao IGP-M (Índice Geral de Preço do Mercado). Leia mais


Dança das cadeiras: gigantes DHL, UTI, Panalpina, Allink e Infraero têm grandes novidades

Tradicionais executivos nas gigantes de comércio exterior estão de mudança.

Na DHL, Jürg Rohrer deixa a presidência da empresa no Brasil, após longo período a frente do braço Global Forwarding. Assume em seu lugar Cindy Harring, ratificando a força das mulheres em cargos importantes no País. Ainda na DHL, Elaine Inacio deixa a empresa seguindo para a UTI. Aliás, a UTI também está com grandes mudanças. Deixam a empresa, também após muitos anos, Nelsinda Muriano e o atuante Wilmar Gomes. Assume o lugar de Gomes o funcionário de carreira da empresa, Gustavo Silva. Na Panalpina, Solange Foresch deixou a empresa também com destino à UTI. Leia mais