Pólo de Celulose acelera alfandegamento do Terminal de Cargas de Campo Grande

O Aeroporto Internacional de Campo Grande (MS) já conta com seu terminal de cargas alfandegado e as melhorias realizadas pela Infraero foram indispensáveis para essa conquista. A recém inaugurada estrutura do terminal é capaz de proporcionar controle técnico mais adequado à fiscalização, manipulação e armazenamento das cargas importadas por meio daquele aeroporto. “O Terminal de Cargas está pronto para atender à demanda crescente no Estado de Mato Grosso do Sul, com a instalação de novas indústrias e, ao mesmo tempo, contribuir para o aumento das receitas de logística da Infraero”, comentou o superintendente do aeroporto, Mario Ilto Rodrigues Moreira.

Com a mudança, o Terminal de Cargas da Infraero ganhou mais 825 m² de área (dos antigos 250 m² para os atuais 1.074 m²). Investimentos recentes, no valor de R$ 130 mil, também foram distribuídos em melhorias pontuais, como a reforma da câmara frigorífica e a aquisição de seis câmeras de vídeo para o sistema de TV e Vigilância.

Infraestrutura e progresso. Em 2008, o Terminal de Cargas do Aeroporto de Campo Grande recebeu cerca de 18 mil toneladas de equipamentos destinados à construção da maior fábrica de processamento de celulose do país, a Internacional Paper. Localizada no município de Três Lagoas (MS), essa unidade industrial da “IP” pode gerar até 30 mil postos de trabalho na região.


Indústria química planeja investir US$ 26 bilhões no país até 2014

Levantamento realizado pela Abiquim com cerca de 800 empresas mostra que os investimentos no segmento de produtos químicos para uso industrial até 2014 poderão superar os US$ 26 bilhões. Desse total, US$ 10,9 bilhões referem-se a projetos aprovados e que se encontram em andamento.

Os projetos em estudo somam US$ 11,9 bilhões e os investimentos programados em manutenção, melhorias de processo, segurança e meio ambiente alcançam US$ 3,3 bilhões. Os investimentos poderão gerar cerca de 5,8 mil empregos diretos.

Os investimentos programados pela indústria química poderão ser multiplicados nos próximos anos, alcançando US$ 132 bilhões até 2020, com a adoção do Pacto Nacional da Indústria Química. Lançado pela Abiquim em dezembro, no Encontro Anual da Indústria Química, o Pacto lista os compromissos do setor com o desenvolvimento do país e propõe a adoção de uma série de medidas pelo governo, como a garantia de disponibilidade de matéria-prima, a desoneração da cadeia produtiva e a isonomia tributária.

O Pacto tem como metas colocar o setor entre os cinco maiores do mundo até 2020 e tornar o país superavitário em produtos químicos e líder mundial em química verde. A Abiquim calcula que a aplicação do Pacto criará 2,3 milhões de empregos.


Exportações chinesas sobem pela 1ª vez em 14 meses

As exportações da China, líder mundial em vendas para o exterior, chegaram a US$ 130,7 bilhões em dezembro do ano passado, registrando um crescimento anualizado de 17,7%, após 14 meses de queda, informou a Administração Geral de Alfândegas.

Já as importações, segundo o órgão, subiram 55,9%, para US$ 112,3 bilhões.

Em suma, o comércio exterior de dezembro, que já havia crescido em novembro após um ano de quedas, confirmou a tendência de alta, avançando 32,7% em relação ao mesmo mês de 2008.


Balança comercial fecha 2009 com superávit de US$ 24,615 bilhões

A balança comercial brasileira fechou 2009 com superávit de US$ 24,615 bilhões (média diária de US$ 98,5 milhões). Esse resultado é a diferença entre exportações de US$ 152,252 bilhões (média diária de US$ 609 milhões) e importações de US$ 127,637 bilhões (média diária de US$ 510,5 milhões). A corrente de comércio – soma das duas operações – totalizou US$ 279,889 bilhões no período.

No ano, as exportações brasileiras – pelo critério da média diária – registraram queda de 22,2% em relação ao desempenho de 2008, quando a média diária dos embarques nacionais chegou a US$ 782,4 milhões. Na mesma comparação, as importações caíram 25,3% ao saírem de uma média diária de US$ 683,7 milhões em 2008, para os US$ 510,5 milhões deste ano.


KN tem o maior movimento por peso entre os agentes de carga de Viracopos

Pelo menos por peso e até setembro, a KN está à frente da movimentação entre todos os agentes de carga que operam no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). Isto é o que revela o ranking de agentes de carga que possuem embarque no aeroporto campineiro. O período de referência é de janeiro a setembro de 2009.

Já a DHL, que lidera a movimentação por embarques, é a segunda no critério “peso”. A  Kuehne & Nagel 6.211.674 kg no período contra 6.010.968Kg da DHL Global Forwarding. Já na comparação por embarques, a DHL domina com 26.781 contra 16.950 da KN. A Panalpina, que é a segunda em embarques, é a terceira em peso.

Confira todo mês a corrida dos agentes aqui no GPA LogNews.