Happy Comex recebeu maior público de suas edições. Confira as fotos.

happy comex abertura newsQualidade de público não bastou na 12ª edição do Happy Comex. O Clube de Networking realizou sua maior edição, desde o primeiro encontro em 2010.

O andar superior da casa Catedral do Chopp, em Campinas, ficou completamente lotado. E o melhor: o público presente contou com seleto público formado por decisores em suas áreas de atuação, como importadores, exportadores e demais players do setor.

 

Confira as fotos:


Hoje tem Happy Comex! Conteúdo e novidades marcam 12ª edição

CATEDRAL SHOWEsta quarta-feira, 23/09, estará reservada para reunir a “nata” do comércio exterior regional na 12ª edição do Happy Comex, na badalada casa Catedral do Chopp, em Campinas, interior de São Paulo.

O melhor Clube de Networking do Brasil, que reúne semestralmente os importadores e exportadores de Campinas e Região, tem o apoio do CIESP local.

Nesta edição, o seleto grupo de convidados formado por cerca de 120 empresários e executivos especialmente selecionados assistirá a um overview sobre o “Plano Nacional de Exportação (PNE): resultados e desafios”, com a apresentação de Anselmo Riso – Diretor de Comércio Exterior do CIESP Campinas, Diretor de Infarestrurura da FIESP e External Affairs, Governamental and Political Relations da Robert BOSCH.

Muitas atrações marcam esta 12ª edição do encontro. Além do excelente conteúdo do tema, a ELOG fará um QUIZ, em um teste de conhecimento, onde o vencedor ganhará uma especial garrafa de vinho. Quem participar também levará um brinde surpresa da empresa. Já a ABV e a Panalpina prometem apresentar um vídeo institucional com as últimas novidades de suas empresas. O vídeo da ABV acaba de ficar pronto e aborda a carga aérea.

Os patrocinadores do evento são: ABV (Viracopos), ELOG, Panalpina e Sindasp. A realização é da GPA Comunicação, sob a batuta de Nilo Peralta.


Plano de Exportação terá incentivos financeiros do PROEX

Anselmo_Riso_Diretor_Comercio_Exterior_Ciesp_crédito_Roncon&Graça_Comunicações 1Tema será apresentado no 12º Happy Comex por Anselmo Riso, diretor de Comex do CIESP Campinas, na próxima quarta-feira, 23/09

O aprimoramento de ferramentas para estimular as exportações é apontado pelo presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, como uma meta que deve ser permanente. “Temos de ter à disposição do exportador os instrumentos de política de comércio exterior para aumentar as exportações”, sugere.

Nesse sentido, Castro aponta o Plano Nacional de Exportações 2015-2018, lançado em junho pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), como um conjunto de “bases para o futuro da política de comércio exterior do Brasil”. “O ministério, dentro das limitações que temos hoje, está tendo uma atuação muito boa. Não só abrindo o mercado dos Estados Unidos, mas facilitando processos e eliminando papel para poupar tempo (no trâmite de exportação)”, afirma.

Mas, Castro sugere o aumento de recursos no âmbito do Programa de Financiamento à Exportação (Proex-Equalização), que ajuda as empresas brasileiras a competir com as estrangeiras no mercado internacional.

Segundo Castro, reforçar o Proex-Equalização é importante para o Brasil poder disputar o mercado dos Estados Unidos com os chineses e os europeus. Ele avalia que a retomada da economia americana, em meio à crise da Europa e à desvalorização da moeda chinesa para manter a competitividade, está levando todos os fabricantes de manufaturados a olharem para os EUA. Neste cenário, ele avalia, os brasileiros precisariam do Proex-Equalização para brigar com os concorrentes. “Estamos fora do mercado (de manufaturados) há muito tempo e estamos entrando agora como um exportador novo”, compara.

O governo brasileiro dobrou os recursos do Proex neste ano em relação ao total desembolsado em 2014. O programa conta com R$ 1,6 bilhão em 2015. O reforço foi parte da reestruturação dos canais exportadores do País, que conta com US$ 2,9 bilhões para operações de pós-embarque financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Esse volume de recursos do chamado BNDES-Exim é US$ 900 milhões maior que o total desempenhado no ano passado.

 

Compromisso – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, diz que o governo “está atento” à reivindicação dos exportadores e afirma que “há o compromisso de garantir este ano um orçamento para o Proex-Equalização que permita a cobertura de todos os pleitos que forem encaminhados”.

A determinação, segundo Monteiro, é da presidenta Dilma Rousseff. “O nosso compromisso é poder atender todas as propostas que foram mapeadas e selecionadas e isso envolve as exportação de serviços e bens. Apesar das limitações, a presidente Dilma garantiu que o Proex terá um orçamento suficiente para a cobertura de toda a demanda nesse ano”, afirma.

De acordo com o ministro, haverá até o final do ano “um crescimento significativo” nos empréstimos. “Temos também registro do Banco do Brasil, que é um importante agente seja do Proex-Equalização, seja do Proex-Financiamento, de que a demanda do crédito para exportação tem sido crescente”, diz.

O ”12º Happy Comex promete reunir a nata do Comex no próximo dia 23/09, em Campinas (SP), e abordará o tema em evidência: “Plano Nacional de Exportação”

O melhor Clube de Networking do Brasil reunirá “Convidados VIP”  no dia 23, a partir das 18h. Para garantir qualidade do público presente, os convites são pessoais e intransferíveis e as confirmações de presença do 12º Happy Comex serão somente por e-mail

A Casa “Catedral do Chopp”, em Campinas, receberá importadores e exportadores, juntamente com os demais players do Comércio Exterior e Logística.

O evento é exclusivo aos convidados, portadores de convite VIP. Anote em sua agenda!

O tema “Plano Nacional de Exportação” terá um overview no encontro. O patrocínio é da ELOG, Panalpina, Sindasp e ABV (Viracopos). O Apoio é do CIESP / Campinas.

 

Ficha Técnica

12º Happy Comex
Data
: 23 de setembro de 2015 – quarta-feira

Local: Catedral do Chopp – Campinas (SP)
Horário: 18h às 22h
Tema – OVERVIEW: RESULTADOS E DESAFIOS – PLANO NACIONAL DE EXPORTAÇÃO (PNE)
Apresentação: Anselmo Riso – Diretor de Comércio Exterior do CIESP Campinas e External Affairs, Governamental and Political Relations da Robert BOSCH

INFORMAÇÕES: (19) 3383-3555

Crédito Foto: Roncon&Graça Comunicações


Segmento aeroportuário apresenta lucro em balanços da Invepar e da Triunfo, concessionárias de Guarulhos e Viracopos

avião internaconal em altaA Invepar e a Triunfo, concessionárias de Guarulhos e Viracopos respectivamente, divulgaram o balanço do 2º trimestre e o setor aeroportuário das empresas apresentou crescimento.

A Invepar divulgou os resultados financeiros do 2º trimestre de 2015, registrando receita líquida ajustada de R$ 804,7 milhões, um crescimento de 8,9% em relação ao mesmo período de 2014. Todos os segmentos de atuação da empresa acompanharam o resultado positivo e registraram receita líquida ajustada superior em comparação ao segundo trimestre do ano passado. Em relação aos investimentos, no acumulado dos primeiros seis meses deste ano, os investimentos realizados pela companhia totalizaram cerca de R$ 1 bilhão, sendo R$ 549,6 milhões no segundo trimestre.

No segmento Aeroportos, a receita líquida ajustada totalizou R$ 408,7 milhões no período, registrando um crescimento de R$ 13,9 milhões (+3,5%) ante o mesmo trimestre de 2014. Este desempenho foi motivado pelo aumento de 11,1% nas receitas tarifárias na comparação entre os períodos, em função, principalmente, da alteração do perfil de passageiros, com maior proporção de usuários internacionais, ao reajuste tarifário ocorrido em julho de 2014 e ao segmento de cargas, que teve impacto positivo da recente variação cambial. A continuidade da reforma e da ampliação dos Terminais 1 e 2 de GRU Airport, o alargamento das pistas e a implementação de diversos sistemas que aumentarão a eficiência, confiabilidade e segurança das operações no aeroporto foram os destaques de investimento no período.

Balanço Triunfo: receita da carga aérea cresce quase 15% em Viracopos – Já no balanço divulgado pela Triunfo Participações e Investimentos sobre seu segmento aeroportuário, para o mesmo período, ou seja, o segundo trimestre de 2015, Viracopos movimentou 2,5 milhões de passageiros (+6,9%) e 30,7 mil aeronaves no período, crescimento impulsionado, de acordo com a empresa, por melhorias na infraestrutura, assim como maior número de voos internacionais.

Com isso, a receita bruta de passageiros, pousos e decolagens e comercial atingiu crescimentos de +14,9%, +11,8% e +35,8%, respectivamente.

A Triunfo nota que, embora o volume de carga tenha reduzido 17,6%, a receita do terminal de cargas atingiu R$ 17,8 milhões (+14,4%), devido a ações adotadas por Viracopos com foco em cargas de alto valor agregado.

Fonte: Agência IN e Exame