Com apoio do CIESP Campinas e da Thomson Reuters, 1º Fórum Online LogNews debaterá exportação

eugenio final em altaWebinar no Portal provocará usuário participante a interagir com palestrantes e trará diferenciais estratégicos para quem exporta

O profissional de comércio exterior e logística que tem compromisso com a exportação não pode perder. Anote em sua agenda: no dia 14/09, quarta-feira, das 10 às 11h, um Webinar gratuito com o 1º Fórum LogNews online. Um evento interativo onde os usuários participantes poderão interagir com os palestrantes.

Sob o título “Direcionamento Estratégico das Empresas para Exportação” o Fórum terá o apoio institucional do CIESP Campinas e o Patrocínio da Thomson Reuters. Um evento Online aberto e gratuito (bastando apenas o cadastro) para o publico empresarial para apresentar as possibilidades e ganhos vinculados ao direcionamento estratégico para aumento das exportações pelas empresas.

 

Os palestrantes são do mais alto gabarito:

-Marcos Eugênio – Diretor Adjunto de Comércio Exterior do CIESP Campinas

-Luis Celso Sena – Gerente de Produtos para Comércio Exterior da Thomson Reuters no Brasil

Entre os temas abordados, Incentivos: como  Uso de Regimes Aduaneiros Especiais e Adesão aos Acordos de Comercio Internacional

 

Entre os Ganhos pelas empresas

  • Abertura e diversificação de mercado;
  • Fortalecimento de marca.
  • Direcionamento do produção e diminuição da ociosidade/estoque
  • Aumento de faturamento

 

Como Desafios

  • Controle de Qualidade dos produtos
  • Gestão dos processos de comércio exterior
    • Conformidade com os regulamentos aduaneiro com os países envolvido;
    • Regras de Origens;
    • Classificação Fiscal dos produtos;
    • Controle de estrutura de produtos para uso de regimes especiais.
    • Documentos inerentes a exportação

 

INSCRIÇÕES AQUI


Maior do planeta, Airlander 10 faz voo inaugural e promete revolucionar transporte aéreo de carga

aviaão maior finalO Airlander 10, considerada a maior aeronave do mundo, decolou nesta quarta-feira(17/08) para seu primeiro e breve voo, sobre uma pista no centro da Inglaterra. Com 43,5 metros de largura e 92 metros de comprimento, 6 metros a mais que o gigante Antonov An-225, o Airlander 10 é um híbrido de avião, helicóptero e dirigível. A aposta é que a aeronave possa revolucionar o mercado de transporte aéreo de cargas.

“É uma grande inovação britânica.”, disse o diretor executivo da Hybrid Air Vehicles, fabricante da aeronave, Stephen McGlennan, em entrevista à Associated Press. “É uma combinação de aeronave que tem partes de um avião com asas fixas, de helicóptero e de balão de hélio”.

O voo inaugural aconteceu em Cardington, cerca de 75 quilômetros ao norte de Londres. De acordo com a fabricante, o Airlander 10 foi desenvolvido para usar menos combustível que um avião, mas carregar cargas maiores, de até 10 toneladas. Ele pode alcançar 4.900 metros de altitude, viajar a velocidade de 148 quilômetros por horas e permanecer no ar por até duas semanas.

O projeto inicial foi tocado pelas forças armadas americanas, que planejavam usar a aeronave em missões de reconhecimento e vigilância no Afeganistão, mas foi abandonado em 2013 e, desde então, assumido pela pequena companhia britânica Hybrid Air Vehicles, que sonha em inaugurar uma nova era para as imensas aeronaves que voam por serem mais leves que o ar.

Os dirigíveis tiveram sua época de ouro no início do século passado, mas foram abandonados após graves acidentes, sendo o Hindenburg, em Nova Jérsei, nos EUA, o mais famoso. Na Alemanha, esses aeróstatos, também conhecidos como Zepelins, foram usados durante a Primeira Guerra Mundial.

A diferença do Airlander 10 em relação ao Zepelim é que o gás usado não é o hidrogêneo, inflamável, mas o hélio.

Fonte: Com informações “O GLOBO”


Estão abertas as confirmações de presença para o Happy Comex e Movimat

expo center norte finalExecutivos e Empresários do interior já podem confirmar presença nos traslados para o 14º Happy Comex e para a Movimat 2016. A antecedência se dá em função das vagas no transporte executivo especial Campinas / Expo Center Norte

Os convidados do 14º Happy Comex interessados nos traslados executivos saindo e chegando de Campinas já podem garantir conforto e a presença no transporte para visitar a Movimat e participar da 14ª edição do Happy Comex. Aberto aos embarcadores, importadores e exportadores do interior de São Paulo, a reserva pode ser feita pelo e-mail: contato@gpamais.com.br. Os convidados dos patrocinadores também poderão aproveitar deste diferencial.

Esta e outras novidades marcarão mais uma edição do melhor clube de networking de comércio exterior e logística do Brasil, que de forma inédita será realizado em São Paulo, no dia 21 de setembro, em evento paralelo à Feira Movimat, um dos maiores e mais importantes encontros do setor na América Latina, este último promovido pela Reed Exibithions.

Atendendo um convite da Reed Exibithions, para realização do Happy Comex no ambiente reservado desta importante Feira, foi formalizada uma aliança ajustada por representantes da Reed e da GPA+, em apoio mútuo nos esforços de comunicação dos eventos.

O Salão VIP do Pavilhão Branco do Expo Center Norte sediará de forma inédita o Clube de Networking, em evento paralelo à Feira Movimat, no dia 21/09, com a presença de importadores e exportadores do Interior e também da Grande São Paulo

A mudança também possibilitará que os importadores e exportadores de São Paulo conheçam o happy hour que vem atraindo participantes do mercado do interior paulista e que se encontra na 14ª edição.

Em março de 2017 o encontro semestral Happy Comex retorna ao seu palco original em Campinas, no interior de São Paulo.

Abertas as cotas de patrocínio, a ELOG e a Haganá já garantiram presença no evento.

FichaTécnica

14º Happy Comex
Local: Evento Paralelo da Movimat 2016 – Salão Vip do Expo Center Norte (Pavilhão Branco)
Dia 21 de setembro 2016
Horário: das 18h às 22h
Informações: (19) 3383-3555 ou (19) 9 9299-1987


Justiça é saída contra greve de fiscais da Receita

RF finalEmpresas recorrem ao Judiciário para reduzir prejuízos causados pela paralisação em Viracopos. CIESP Campinas ainda monitora movimento.

A paralisação dos auditores da Receita Federal ultrapassou essa semana o seu 20º dia e continua causando atraso nos desembaraços de mercadorias no terminal de cargas do País e, com bastante intensidade, no Aeroporto Internacional de Viracopos.

A situação é mais complicada para empresas que trabalham com estoques reduzidos e que precisam de uma rápida liberação. Na semana passada, a regional de Campinas do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) registrou a paralisação da produção de duas grandes empresas por falta de insumos. O advogado João Paulo Toledo de Rezende, do escritório Lira & Associados, afirmou que tem aumentado o número de empresas que procuram o escritório para auxiliar no desembaraço das mercadorias. De acordo com Rezende, processos que demoram dois ou três dias estão demorando até 20 dias. “O movimento grevista é legítimo, desde que não interrompa serviços públicos essenciais. Tem atrasado muito o desembaraço aduaneiro e as empresas que operam no comércio exterior não conseguem liberar. Nesse cenário é preciso ação judicial para o desembaraço. O que demora dois dias está demorando 20, 30 dias”, apontou. “Há uma série de prejuízos decorrentes desse atraso, como custo de armazenagem, contratos com fornecedores que não são cumpridos dentro do prazo, o que implica em multa, e falta de abastecimento do mercado local.”

Segundo estimativa da delegacia sindical de Santos do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), a greve causa um atraso de R$ 100 milhões por dia de paralisação no Porto de Santos. Os atendimentos agendados na Receita Federal e a chegada dos voos internacionais também estão sendo prejudicados pela paralisação. Os auditores da Receita Federal exigem que o governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) cumpra com o acordo firmado em março no governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) e conceda reajuste de 21,3% dividido em quatro anos. Há ainda um bônus de R$ 3 mil.

Os auditores paralisam totalmente as atividades às terças e às quintas-feiras, mas casos considerados urgentes são liberados, como cargas vivas, remédios, aparelhos hospitalares e de produtos perecíveis. Nos outros dias da semana, está havendo uma liberação mais rigorosa, conhecida como operação-padrão.

Embora os efeitos não sejam tão graves quanto os de uma greve geral, porque os auditores não chegaram a paralisar totalmente os trabalhos, o diretor da regional do Ciesp Campinas, José Nunes Filho, disse que há atrasos na liberação das cargas. A demora atrapalha principalmente as empresas que trabalham com um estoque pequeno por causa da crise da economia. “Isso para nós é muito danoso, porque quando retém as cargas está retendo o capital da empresa, que fica parado lá dentro. Ela deixa de produzir e o dinheiro fica parado. As empresas estão trabalhando com estoques curtos por causa da crise e dependem da movimentação rápida de carga”, destacou Nunes Filho. “Estamos numa situação de crise, com as empresas descapitalizadas e demitindo. Ainda ter o problema da carga retida no aeroporto e porto é dramático”, completou.

Na Justiça – Segundo o diretor de Comércio Exterior do Ciesp Campinas, Anselmo Riso, além de comprometer a produção, o atraso no desembaraço amplia os custos das empresas. “Esse atraso complica não só a produção, mas os custos, porque a empresa acaba pagando taxas adicionais de armazenagem, principalmente na parte aérea.” Riso disse que o Ciesp tem monitorado a situação e não descarta entrar com uma ação judicial coletiva para acelerar a liberação de cargas. “Estamos fazendo monitoramento para possível judicialização e até agora estamos tendo pouco reflexo. Para isso precisamos ter um processo bem fundamentado. Mas eles estão fazendo de maneira pontual, o que complica. O atraso é considerável, mas ainda não é aquele prejuízo irreparável.”

Fazenda já se comprometeu a dar reajuste – Auditores fiscais da Receita Federal dizem que o Ministério da Fazenda se comprometeu, na semana passada, a cumprir acordo salarial firmado em março deste ano. O acordo prevê reajuste de 21,3% em quatro anos, dos quais 5,5% seriam pagos já a partir de agosto. Como o projeto de lei do aumento ainda não foi enviado ao Congresso Nacional, a categoria mantém a operação padrão. Cláudio Damasceno, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), disse que o governo prometeu resolver a questão “nos próximos dias”, mas não esclareceu se o reajuste será assegurado por meio de medida provisória ou projeto de lei. De acordo com Damasceno, a Fazenda enviou à Casa Civil um texto prevendo o reajuste, mas não revelou ao Sindifisco o modelo adotado nem o conteúdo. Segundo ele, a preferência do governo é um projeto de lei, mas, nesse caso, pode não haver tempo hábil para pagar a primeira parcela do aumento em agosto.

O acordo prevê ainda um bônus de R$ 3 mil, também a partir de agosto. “O fato de o Ministério da Fazenda ratificar o acordo e dizer que está trabalhando para cumpri-lo é uma notícia positiva. Mas estamos aguardando que pelo menos esse texto saia, para fazer uma análise e a partir daí deliberar sobre a manutenção ou não da mobilização”, adiantou.

Fonte: Agência Brasil / Correio Popular


Movimat 2016 receberá 14º Happy Comex

expo center norteEntre as novidades, traslados executivos saindo e chegando do CIESP Campinas garantirão conforto e a presença de embarcadores do interior de São Paulo, que poderão visitar a Movimat e participar da 14ª edição do Happy Comex. Evento inédito no Expo Center Norte retornará para Campinas em 2017.

Traslados executivos saindo e chegando do CIESP Campinas garantirão conforto e a presença de embarcadores do interior de São Paulo, que poderão visitar a Movimat e participar da 14ª edição do Happy Comex.

Este e outros diferenciais marcarão mais uma edição do melhor clube de networking de comércio exterior e logística do Brasil, que de forma inédita será realizado em São Paulo, no dia 21 de setembro, em evento paralelo à Feira Movimat, um dos maiores e mais importantes encontros do setor na América Latina, este último promovido pela Reed Exibithions.

Atendendo um convite da Reed Exibithions, para realização do Happy Comex no ambiente reservado desta importante Feira, foi formalizada uma aliança ajustada por representantes da Reed e da GPA+, em apoio mútuo nos esforços de comunicação dos eventos.

O Salão Vip do Pavilhão Branco do Expo Center Norte sediará de forma inédita o Clube de Networking, em evento paralelo à Feira Movimat, no dia 21/09, com a presença de importadores e exportadores do Interior e também da Grande São Paulo.

A mudança também possibilitará que os importadores e exportadores de São Paulo conheçam o happy hour que vem atraindo participantes do mercado do interior paulista e que se encontra na 14ª edição.

Em março de 2017 o encontro semestral Happy Comex retorna ao seu palco original em Campinas, no interior de São Paulo.

Abertas as cotas de patrocínio, a ELOG e a Haganá já garantiram presença no evento.

FichaTécnica

14º Happy Comex
Local: Evento Paralelo da Movimat 2016 – Salão Vip do Expo Center Norte (Pavilhão Branco)
Dia 21 de setembro 2016
18h às 22h
Informações: (19) 3383-3555 ou (19) 9 9299-1987