Presidente do Porto de Santos é preso pela Polícia Federal

Na Operação Tritão, deflagrada pela Polícia Federal, foi preso nesta quarta-feira (31/10) José Alex Oliva, presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) – gestora do maior porto da América Latina. Também foi envolvido na operação o ex-assessor da Presidência, Carlos Antonio de Souza, o Carlinhos.

A investigação, feita em parceria com a Controladoria-Geral da União, o Tribunal de Contas da União, a Receita Federal e o Ministério Público Federal, mira fraudes em licitações da estatal que administra o Porto de Santos.

Em nota, a PF informou que os investigados atuavam em processos licitatórios das áreas de tecnologia da informação, dragagem e consultoria. Um total de 100 policiais federais, 8 auditores da CGU e 12 servidores da Receita cumprem 7 mandados de prisão temporária e 21 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Santos, Guarujá, São Caetano do Sul, Barueri, Rio de Janeiro, Fortaleza e Brasília. As ordens foram expedidas pela 5ª Vara da Justiça Federal de Santos.

As suspeitas de irregularidades surgiram com um vídeo postado na internet em setembro de 2016, no qual Carlos Antonio de Souza, o Carlinhos, ex-assessor do presidente da Codesp “confessava a prática de diversos delitos ocorridos no âmbito daquela empresa”. O inquérito teve início em novembro de 2017 após informação sobre o conteúdo do vídeo ser enviada pelo Ministério Público Federal à PF, para que fosse feita uma investigação policial a partir dos fatos que ele narrou.

De acordo com a Federal, os autos apontam irregularidades em vários contratos, que seriam realizadas por meio de fraudes envolvendo agentes públicos ligados à estatal e empresários. Dentre as irregularidades, destacam-se contratações antieconômicas e direcionadas, aquisições desnecessárias e ações adotadas para simular a realização de serviços.

Os contratos sob investigação perfazem um total de mais de R$ 37 milhões. Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de associação criminosa, fraude a licitações, peculato, corrupção ativa e passiva, com penas de 1 a 12 anos de prisão. O nome da operação policial remete a Tritão, na mitologia grega, conhecido como o rei dos mares. 

Leia a íntegra da nota da Codesp sobre a operação:

“O Conselho de Administração, em reunião ordinária previamente programada para hoje (31), constatou pela manhã a realização, pela Policia Federal, da Operação Tritão, que envolveu a prisão temporária do Diretor Presidente e do diretor de Relações com Mercado e Comunidade, além do superintendente Jurídico da Codesp.

Consciente de sua responsabilidade e comprometido com a governança e operação do maior Porto da América Latina, o Conselho de Administração decidiu substituir o Diretor Presidente e o diretor de Relações com o Mercado e Comunidade, por, respectivamente, Luiz Fernando Garcia, e José Alfredo de Albuquerque e Silva.

Por fim, o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil indicou o novo presidente do Conselho de Administração, Ogarito Borgias Unhares, em razão do atual presidente do colegiado ter sido indicado para a diretoria executiva da empresa.

Santos, 31 de outubro de 2018″


Cepal espera crescimento de 12,5% das exportações brasileiras em 2018

Já o comércio exterior na América Latina deverá crescer 9,7, ainda segundo a Comissão

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) avalia comércio exterior envolvendo os países da região crescerá 9,7% em 2018, acumulando dois anos de recuperação após acentuada queda registrada entre 2012 e 2016. A alta ocorre com a expansão de 7,6% dos preços e 2,1% no volume de vendas. As projeções fazem parte do relatório anual “Perspectivas do Comércio Internacional da América Latina e do Caribe 2018”.

No Brasil, a comissão tem expectativas que as exportações do Brasil cresçam 12,5% até o fim deste ano. A América do Sul tem uma alta esperada para as exportações de 10,2%, puxada pelos preços de produtos básicos, especialmente do petróleo e dos minerais e metais.

Mesmo com a recuperação dos países da região, o volume nas exportações subirá menos da metade do que o das vendas externas dos países desenvolvidos, segundo dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), que espera avanço de 4,6% nas exportações.

No Brasil, a comissão tem expectativas que as exportações do Brasil cresçam 12,5% até o fim deste ano. A América do Sul tem uma alta esperada para as exportações de 10,2%, puxada pelos preços de produtos básicos, especialmente do petróleo e dos minerais e metais.

Mesmo com a recuperação dos países da região, o volume nas exportações subirá menos da metade do que o das vendas externas dos países desenvolvidos, segundo dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), que espera avanço de 4,6% nas exportações.

A secretária-executiva da Cepal, Alicia Bárcena (FOTO), alegou que, por conta das tensões comerciais entre China e Estados Unidos, a economia global deve sofrer no próximo ano, resultando em dólar alto e grande volatilidade nos mercados financeiros. Por isso, acredita que é necessária uma integração regional maior.

“A integração regional é indispensável para avançar na diversificação das exportações e na transição do comércio intrarregional e sua importância para as pequenas e médias empresas exportadoras”, ressaltou Alicia. “É necessário intensificar os esforços voltados para a construção de um mercado regional integrado dado o contexto de desaceleração do crescimento, saída líquida de capitais e crescente protecionismo enfrentado pela região, provavelmente seja acentuado em 2019”, completou a secretária-executiva da Cepal.


Boa sorte, Presidente Bolsonaro. Vamos juntos desamarrar o Brasil

Artigo do Setor
Artigo por Marcos Farneze* 

Neste momento não há vencedor e nem perdedor, há união pelo Brasil.

O primeiro discurso do Presidente eleito Jair Bolsonaro trouxe uma frase que me chamou a atenção. Entre algumas partes importantes do trecho aqui transcritas, que possuíam interface com o comércio exterior, a exemplo de “o Governo reduzirá a sua estrutura e a burocracia…para que as pessoas possam dar muitos passos à frente…. Vamos desburocratizar, simplificar e permitir que o cidadão, o empreendedor tenha mais liberdade para criar e construir o seu futuro e …Buscaremos relações bilaterais com países que possam agregar valor econômico e tecnológico aos produtos brasileiros”, uma me chamou ainda mais a atenção: “Vamos desamarrar o Brasil”.

Bolsonaro falou exatamente o que a categoria dos Despachantes Aduaneiros tem buscado ao longo dos anos: ações para desamarrar o Brasil e eliminar sua burocracia.

Ninguém melhor do que o Despachante Aduaneiro – responsável por cerca de 97% do desembaraço das importações e exportações brasileiras – para entender o quanto representa desamarrar o País.

Desamarrar suas filas e tempos de desembaraço nas importações ou desamarrar os entraves para exportação. Desamarrar as greves de servidores públicos que impactam nas operações de comércio exterior. Desamarrar a ineficiência dos terminais de carga aérea. Desamarrar os problemas de falta de infraestrutura. Desamarrar os gargalos logísticos. Desamarrar as barreiras do transporte rodoviário de carga. Desamarrar a dificuldade de acesso aos portos ou, ainda, desamarrar sistemas irracionais de alguns intervenientes que afetam a operacionalidade do desembaraço de carga.

A área econômica do novo Governo já acenou que quer evoluir com o comércio mundial e que o Mercosul não será prioridade.

Precisamos monitorar esses próximos passos.

O momento é de esperança. Do lado de cá estamos prontos. Vamos juntos desamarrar o Brasil.

Artigo por Marcos Farneze
*Presidente do SINDASP
(Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de São Paulo)

Privalia inaugura centro de distribuição em Extrema (MG) com capacidade para 15 mil pedidos/dia

A PRIVALIA, o outlet digital das grandes marcas, inaugura nesta sexta (26/10) um de seus maiores centros de distribuição no mundo. Localizado em Extrema – Minas Gerai – e ​atendendo exclusivamente à Privalia, o novo CD acompanha o planejamento de expansão d​a marca no país considerando a projeção de crescimento para os próximos anos, na ordem de 20%.

Com investimento de 54 milhões, o empreendimento desenvolvido em parceria com a empresa ​Fulwood Empreendimentos Imobiliários e construído em aproximadamente 10 meses, possui ​48.453m² de terreno – sendo área total construída de 26.773m², e c​entraliza toda a operação logística, antes dividida em três centros de distribuição terceirizados. A operação de logística é feita pela ID Logistics e gera em torno de 400 empregos, entre diretos e indiretos.

Em questão de volume, o Brasil está entre os três maiores mercados da marca. Hoje a Privalia atende cerca de 300 mil pedidos por mês e com o novo centro terão capacidade para atender até 15 mil pedidos por dia, por exemplo. “Com este novo passo da empresa, pretendemos melhorar a gestão e reduzir nossos prazos de entrega, mantendo o nível de satisfação de nossos consumidores com a melhor experiência de compra possível”, afirma Fernando Boscolo, Country Manager Brasil da Privalia.

Em 2017, a Privalia contou com 5.768 campanhas ao longo do ano e recebeu 2.674.908 pedidos no mesmo período. Agora em 2018, a empresa inaugura seu novo Centro de Distribuição em Extrema, Minas Gerais e terá 100% da capacidade do espaço destinado à plataforma.

 


“Container Rosa” é o tema da Aurora EADI para campanha, em Sorocaba (SP)

Desde a década de 90, o mês do “outubro rosa” é marcado, anualmente, por uma campanha de conscientização, que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e, mais recentemente, sobre o câncer de colo do útero.

Em uma iniciativa, alusiva ao mercado em que atua, a Aurora EADI ­ – Porto Seco localizado em Sorocaba, no interior de São Paulo – dividiu com seus colaboradores a campanha “Container Rosa”, numa referência ao famoso compartimento de carga.

Na avaliação de uma das Coordenadoras do Projeto “Container Rosa”, Patrícia Rossi Barros, da área de Sistema de Gestão Integrada da empresa, o engajamento foi excelente, “Criamos uma linguagem de nosso ambiente e isso ajudou a motivar e envolver nossas colaboradoras, público-alvo da campanha”, resumiu Patricia.

Em um dia eleito pela empresa, todas as colaboradoras foram com uma camisa ou acessório na cor rosa e registraram o momento (foto). A campanha foi marcada pela mobilização e distribuição de uma cartilha com o tema. 

Aurora Eadi completa 20 anos – O ano de 2018 está sendo marcado pelos 20 anos da empresa. Com uma Infraestrutura privilegiada, a Aurora Eadi está localizada às margens da Rodovia Senador José Ermírio de Moraes, conhecida como Castelinho. Com área total de mais de 100 mil m², o provedor de soluções logísticas integradas conta com 20 mil m² de um armazém com pé direito de 20 metros de altura, mais de 6 mil posições porta pallets e um pátio de 33 mil m². As câmaras frias, que recentemente tiveram sua área aumentada, são monitoradas 24h / dia e possuem autorização para armazenar todos os tipos de carga sob anuência ANVISA.