Região Administrativa de Campinas lidera valor da transformação industrial (VTI) no Brasil

ESPECIAL CAMPINAS 250 ANOS

A Fundação Seade divulgou dados sobre o valor da transformação industrial (VTI) gerado no país, que apontam que, se fossem equiparadas a estados, três regiões administrativas figurariam entre as dez maiores áreas industriais do país: Campinas (11,9%), a Região Metropolitana de São Paulo – RMSP (9,9%) e São José dos Campos (3,2%).

O Estudo da Fundação Seade dispõe ainda de números para as regiões administrativas do Estado de São Paulo em comparação com os estados brasileiros em cinco setores industriais: automotivo, máquinas e equipamentos, produtos farmoquímicos e farmacêuticos, produtos químicos e equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos.

No setor automotivo, quatro regiões se sobressaem: a RMSP, com 20,5% da produção nacional, seguida pelas RAs de Campinas (19,6%), São José dos Campos e Sorocaba (ambas com 5,7%). Já no segmento de máquinas e equipamentos, lideram a RA de Campinas (19,2%), a RMSP (12,3%), a RA de Sorocaba (5,4%) e a RA Central (2,7%).

No setor de produtos farmoquímicos e farmacêuticos, a RA de Campinas (30,7%) e a RMSP (30,1%) dominam a produção, com participações relevantes também das RAs de São José dos Campos (3,5%), Ribeirão Preto (1,3%) e Sorocaba (1,2%). Em produtos químicos, destacam-se a RA de Campinas (17,1%) e a RMSP (17,0%), com presença também das RAs de São José dos Campos (3,9%) e Santos (3,2%).

Em produtos de informática, eletrônicos e ópticos, a RA de Campinas representa 28,1% do VTI do segmento no país, seguida pelas RAs de Sorocaba (5,0%), RMSP (4,4%) e São José dos Campos (3%).

Outros setores que também apresentam regiões paulistas com destaque são: fabricação de móveis, com a RMSP e a RA de São José do Rio Preto respondendo cada uma por cerca de 5% do VTI nacional do segmento; produtos têxteis na RA de Campinas (15%), RMSP (11,3%) e RA de Sorocaba (3,8%); e produtos de couro na RA de Franca (3,8%).

VTI – O Valor da Transformação Industrial (VTI) corresponde à diferença entre o valor bruto da produção industrial (VBPI) e o custo com as operações industriais (COI). O VBPI é a soma das vendas de produtos e serviços industriais, variação dos estoques dos produtos acabados e em elaboração, e produção própria realizada para o ativo imobilizado.

Governo de SP assina contrato para implantação de Trem Intercidades em Campinas(SP)

ESPECIAL CAMPINAS 250 ANOS

O governador do estado de São Paulo, Tarcísio de Freitas, esteve na cidade de Campinas no início de junho deste ano, para a assinatura do contrato para implantação do Trem Intercidades (TIC), que ligará Campinas à capital paulista.

Com investimentos de R$ 14,2 bilhões, o projeto contempla a implantação de um Serviço Expresso (Trem Intercidades), que vai ligar São Paulo a Campinas, com parada em Jundiaí; um Trem Intermetropolitano (TIM), que vai de Jundiaí a Campinas, atendendo também Louveira, Vinhedo e Valinhos; e os serviços da Linha 7-Rubi do metrô paulista, conectando a Estação Barra Funda, em São Paulo, a Jundiaí, atendendo ainda às cidades de Franco da Rocha, Francisco Morato, Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista.

O Consórcio C2 Mobilidade sobre Trilhos é responsável pelo empreendimento. Com a assinatura do contrato, agora a empresa vai apresentar os planos de financiamento, desapropriação, reassentamento, entre outros – o que deve ser feito até julho de 2026. A previsão é que as obras tenham início em agosto de 2026.

As obras do TIM e da Linha 7-Rubi devem durar três anos, com expectativa de conclusão em agosto de 2029. Já as obras do TIC devem levar cinco anos e a fase de testes de operação está prevista para o final de 2031.

A estimativa é que sejam gerados 10,5 mil empregos, entre diretos, indiretos e induzidos, e que 672 mil passageiros sejam transportados por dia quando o sistema estiver em plena capacidade.

VLT ligará Campinas, Hortolândia e Sumaré

Além da assinatura do contrato de concessão do Trem Intercidades, o governador Tarcísio de Freitas também lançou o programa “São Paulo nos Trilhos”, que prevê mais de 40 projetos ferroviários para transporte de passageiros e cargas, com investimentos estimados em R$ 194 bilhões e mais de 1 mil km de malha férrea no território paulista.

Entre esses projetos, está o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) Campinas – Hortolândia – Sumaré, com investimento estimado de R$ 4,5 bilhões.

Campinas sediará Almoço de Networking “Gourmet Comex”, em outubro

ESPECIAL CAMPINAS 250 ANOS

O mercado de comércio exterior e logística do interior de São Paulo já tem encontro marcado no segundo semestre: no dia 04 de outubro, em Campinas, ocorrerá a 28ª edição do Tradicional Almoço de Networking, Gourmet Comex.

ADUANA TV – Uma das atrações do evento será a cobertura jornalística/social da ADUANA TV, da Receita Federal, com a Equipe composta pelos Analistas-Tributários Laerte Losacco Toporcov Junior e Solange Gonçalves Lopes Wyatt e pela Auditora-Fiscal Elizabeth Walter de Menezes.

Pitch de Conteúdo – O Pitch de Conteúdo do evento que será definido em breve, entre dois temas sob análise. O convidado para apresentar esse overview também será definido ao lado do tema. Os vídeos serão intercalados no cerimonial.

Vinícola Mosquita Muerta – Outra novidade é sobre o cardápio do evento. A Vinícola Mosquita Muerta, a nova “queridinha” dos brasileiros, assinará o vinho do evento.

O Gourmet Comex tem o apoio do CIESP Campinas e SINDASP, além das participações confirmadas até o momento da TSA Cargo, CEVA Logistics, West Cargo TNLOG, V. Santos e PRA Transportes.

Mais informações sobre formas de participação poderão ser obtidas pelo e-mail: mkt@gpamais.com.br

Receita Federal tem mudanças de dirigentes na 8ª Região Fiscal

A direção da Receita Federal do Brasil em São Paulo trouxe novidades neste início de julho.

Após 2 anos, como Superintende-Adjunto da 8ª Região Fiscal da RFB, o Auditor-Fiscal Fabiano Coelho (FOTO) deixa o cargo rumo à Brasília (DF). Coelho assumirá a Coordenadoria-Geral de Programação e Logística da Secretaria Especial da RFB.

Em seu lugar assume André Luiz Gonçalves Martins, que estava atuando como Delegado-Adjunto na Delegacia do Órgão Federal, no Aeroporto de Guarulhos.

A RFB segue firme na proposta de desligamento faseado do SISCOMEX e início da DUIMP.

Com informações; SINDASP

 

Após paralização nacional, Governo tem duas semanas decisivas para evitar greve nas agências reguladoras

Após a paralização dos servidores das agências reguladoras, ocorrida nesta quinta (4/7), e da mesa de negociação agendada para o dia 11 de julho, o Ministério da Gestão de da Inovação (MGI) terá duas semanas para tentar evitar uma greve.

Na semana passada, foram realizadas ações de mobilização em diferentes capitais, como parte do movimento Valoriza Regulação, além de uma operação conjunta em Brasília, que reuniu Anac, Anvisa, ANP e Anatel.

Nesta quinta-feira, em um dia histórico para o sindicato e para a regulação, nesta quinta-feira (4), o Sinagências promoveu o Dia Nacional de Paralisação da Regulação, mobilizando centenas de servidores que interromperam suas atividades em várias cidades do Brasil. Os protestos ocorreram no Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Florianópolis (SC), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Salvador (BA), Belém (PA) e Recife (PE).

O objetivo principal foi pressionar o governo contra o sucateamento das agências reguladoras e reforçar a Operação Valoriza Regulação, que busca melhores condições de trabalho e valorização para os servidores. A paralisação, que contou com a adesão de 95% da categoria em assembleia geral, resultou em impactos positivos significativos.