Atibaia receberá grandes nomes do Comércio Exterior e da Logística em novembro

A Região de Atibaia será palco de grandes debates sobre o comércio exterior e a logística no dia 08 de novembro. Inserida em posição estratégica, a cidade está distante 60 quilômetros de São Paulo, Campinas e Guarulhos e a 90 quilômetros de São José dos Campos. É cortada por importantes rodovias do Brasil – a Fernão Dias e a Dom Pedro I – e está a menos de 100 quilômetros das rodovias dos Bandeirantes, Anhanguera e Dutra. A cidade está próxima ainda dos aeroportos internacionais de Guarulhos (68 km) e Viracopos (82 km).

O Fórum Atibaia de Comércio Exterior e Logística trará grandes nomes para debater o setor para toda a Região. Além do reconhecido potencial produtor agrícola, com flores e morango, a cidade também tem se destacado pela atração de investimentos e pela implantação de indústrias e serviços na cidade. As 700 indústrias instaladas no local respondem por 1/3 do PIB do Município: R$ 5 bilhões. Grandes condomínios logísticos completam as opções para a cadeia na Região.

Temas atuais – Para o Fórum são aguardados renomados nomes para discutir temas relevantes como as novidades da Receita Federal para o SISCOMEX: a DU-E e a DU-IMP, a Classificação Fiscal, o futuro de Viracopos e Cases de Logística da Região, entre outros destaques.

Atibaia encontra-se entre as 100 melhores cidades do Brasil para investir em negócios, de acordo com um último estudo da Revista EXAME. Neste panorama, este evento reunirá os principais players do setor de comércio exterior e logística para debater temas, legislações recentes e apresentar soluções para alavancar esse potencial regional. As empresas devem estar preparadas para a eficiência diante das demandas de importação e exportação.

O evento tem a assinatura da “GPA+ Comunicação” e o Apoio da Prefeitura de Atibaia, da Associação Comercial e Industrial (ACIA) e do SINDASP (Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de São Paulo). A AB&B é uma das patrocinadoras do evento, que acontece nas modernas instalações do Centro de Convenções “Victor Brecheret” (FOTO), na cidade. A entrada é franca, o estacionamento gratuito, porém as vagas são limitadas.

Mais informações: (19) 99299-1987, ou ainda por e-mail: mkt@gpamais.com.br.


DU-IMP entra em consulta pública por 30 dias

portal unico finalGoverno lança consulta ao setor privado sobre Novo Processo de Importação. Mais de quarenta mil importadores serão beneficiados com novas funcionalidades do Portal Único de Comércio Exterior que substituirá a DI e a DSI.

O governo federal realiza, a partir de hoje, 21/09, e pelo prazo de 30 dias, consulta pública sobre o Novo Processo de Importação, no âmbito do Programa Portal Único de Comércio Exterior. A reformulação, que deve ser implementada até o fim de 2018, beneficiará mais de quarenta mil importadores.

A proposta, construída em estreita parceria com o setor privado, objetiva estabelecer procedimentos que darão maior eficiência e celeridade ao processo de importação, além de viabilizarem o controle mais eficaz e efetivo das operações.

As sugestões apresentadas por meio da consulta serão tecnicamente analisadas pela equipe técnica do Programa Portal Único de Comércio Exterior e, caso pertinentes, consideradas durante a próxima etapa do Projeto.

As propostas devem ser encaminhadas no formato “.doc” ou “.docx” para consulta@siscomex.gov.br. Clique aqui para mais informações.

O Novo Processo – Uma das novidades previstas no Novo Processo de Importação é a criação da Declaração Única de Importação (Duimp), que substituirá as atuais Declaração de Importação (DI) e Declaração Simplificada de Importação (DSI).

Diferentemente do que ocorre hoje, a Duimp poderá ser registrada antes mesmo da chegada da mercadoria ao país e, em regra, de forma paralela à obtenção das licenças de importação.

Conforme as informações sejam prestadas antecipadamente, procedimentos como o de gerenciamento de riscos poderão ser adiantados, garantindo maior celeridade ao fluxo da carga.

Para evitar redundância ou inconsistência na prestação de informações, a Duimp será integrada com outros sistemas públicos e também estará preparada para integração com sistemas privados. Desta forma, não será mais necessário que o importador acesse diversos sistemas.

O Novo Processo também apresenta benefícios para os importadores que realizam operações sujeitas a licenciamento. Será possível, por exemplo, o emprego de uma única licença para mais de uma operação de importação, ao contrário do que ocorre atualmente.

De maneira geral, os principais benefícios para os importadores são:

  • Centralização num único local da solicitação e obtenção de licença de importação, sem a necessidade de o operador acessar outros sistemas ou preencher formulários em papel;
  • Validação automática entre a operação autorizada (no módulo de licenciamento de importação) e os dados declarados na Duimp;
  • Redução de tempo e burocracia nas importações com anuência;
  • Flexibilização da concessão de licenças de importação em relação ao número de operações abrangidas;
  • Diminuição do tempo de permanência das mercadorias em Zona Primária, com a consequente redução de custos das importações;
  • Harmonização de procedimentos adotados pelos diversos órgãos da Administração Pública responsáveis pelo controle das importações.

Portal Único de Comércio Exterior – O Programa Portal Único de Comércio Exterior, principal iniciativa do governo federal para a desburocratização e simplificação do comércio exterior brasileiro, vem sendo construído de forma gradual e progressiva. O Novo Processo de Exportação já está disponível e sendo utilizado pelos operadores privados. Conforme suas diferentes etapas são estregues, mais exportadores podem usufruir dos benefícios do novo processo, cuja implantação completa está prevista para o final deste ano.


16º Happy Comex será na Movimat/Fenatran

expo1Tradicional Clube de Networking acontece no “Lounge Premium Club”, 18 de outubro, no São Paulo EXPO (foto) 

Mais uma edição do tradicional Clube de Networking Happy Comex está pronta para ser entregue. Repetindo o sucesso do ano passado, o encontro do segundo semestre será realizado em parceria com a Reed Exibithion, realizadora da Feira Movimat, que este ano acontece simultaneamente com a 21º FENATRAN – Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas, no São Paulo EXPO – Imigrantes (foto).

“A 16ª edição, dentro deste evento internacional, além de repercurtir de forma notável, também possibilitará que os importadores e exportadores de São Paulo conheçam o happy hour que vem atraindo atenções do mercado brasileiro e participantes do forte interior paulista, destaca Nilo Peralta, diretor da GPA+, organizadora do encontro.

O Happy Comex tem o apoio do CIESP Campinas e a 16ª edição conta com o Patrocínio da ELOG e do SINDASP. Um ônibus executivo estará à disposição dos convidados do interior para visita à feira e participaR Do Happy Comex, no trajeto Campinas x SP x Campinas.

Em março de 2018 o encontro semestral Happy Comex retorna ao seu palco original em Campinas, no interior de São Paulo. 

FichaTécnica

16º Happy Comex
Local: “Lounge Premium Club”, na entrada do credenciamento Feira Movimat (São Paulo EXPO – IMIGRANTES

Dia 18 de outubro 2017
Horário: das 18h às 21h

*UM ÔNIBUS EXECUTIVO ESTARÁ À DISPOSIÇÃO DOS CONVIDADOS DO INTERIOR PARA VISITA À FEIRA E PARTICIPAR DO HAPPY COMEX, NO TRAJETO CAMPINAS x SP x CAMPINAS.
Reservas e Informações: (19) 3383-3555 ou (19) 9 9299-1987


Johnson & Johnson inaugura centro de distribuição em Guarulhos

Unidade do braço de equipamentos médicos da corporação torna-se o maior da marca na América Latina, com 12 mil metros quadrados, 300 funcionários e espaço para 14 mil itens de todas as franquias da marca.

O diretor da Investe São Paulo, Sérgio Costa, representou o Governo do Estado de São Paulo durante a cerimônia de inauguração do maior Centro de Distribuição integrado da Johnson & Johnson Medical Devices na América Latina, realizada nesta segunda-feira, 4 de setembro.

O Centro disponibilizará mais de 14 mil itens dentre todas as franquias da marca – desde dispositivos cirúrgicos até próteses, implantes e insumos cirúrgicos-, atendendo milhares de procedimentos cirúrgicos diariamente e uma estimativa de dois mil hospitais.

“Nosso trabalho não para aqui. Faremos de tudo para ajudar a Johnson & Johnson crescer e para que faça de São Paulo sua plataforma de crescimento dentro da América Latina”, afirmou Costa.

A Investe SP apoiou o projeto de construção do Centro, principalmente no contato com diversos órgãos públicos fundamentais para o projeto. “Agradecemos principalmente à Investe São Paulo e à Agende Guarulhos por sempre estarem disponíveis para nós.

Conseguimos cumprir todos os prazos que foram propostos”, disse o vice-presidente de logística da empresa para a América Latina, Ricardo Araújo.

O presidente da Johnson & Johnson Medical Devices no Brasil também agradeceu às duas agências de promoção de investimentos: “Esse centro nos deixa mais próximos ao compromisso de chegar a cada vez mais pacientes e restaurar mais vidas, que é nossa missão”, explicou Adriano Caldas, presidente da Johnson & Johnson Medical Devices no Brasil.

“Esse investimento não é importante só por conta da geração de tributos e empregos. Estamos felizes também pela J&J ter nos escolhido como seu polo receptivo e sua plataforma de acesso a diversos mercados. Estamos lutando para que as pessoas acreditem que Guarulhos possa ser cada vez mais um hub internacional e um polo econômico no Estado de no País”, afirmou o prefeito da cidade, Gustavo Guti. 

Sobre o Centro – O novo centro de distribuição está em linha com a estratégia global de negócios da companhia, que tem o Brasil como um dos países foco de investimentos, aumentando a capacidade da operação e garantindo o alto nível de serviços para suprir a demanda do setor nos próximos 10 anos. O Brasil é sétimo maior mercado de saúde em todo o mundo e segundo maior mercado privado da América, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Com aproximadamente 12 mil metros quadrados e 24 mil posições de armazenagem, o espaço contribuirá para a eficiência logística, garantindo uma operação ágil e de qualidade para atender as necessidades de aproximadamente dois mil hospitais brasileiros, atingindo milhões de vidas todos os anos. Ao todo são 300 funcionários trabalhando 24 horas na distribuição dos produtos.

O CD deve abastecer ainda outros 31 países, além do Brasil, com as suturas produzidas na fábrica na Johnson & Johnson em São José dos Campos/SP, considerada o maior e mais diversificado complexo industrial da Johnson & Johnson fora dos Estados Unidos.

“A Johnson & Johnson está presente no País há mais de 85 anos, contribuindo para o desenvolvimento do setor de saúde do Brasil por meio do fornecimento de soluções que promovam a melhor experiência e resultado clínico ao paciente, ao mesmo tempo em que ofereçam eficiência de custos em todo sistema de saúde. Nosso compromisso com o País é de longo prazo, por isso a necessidade de aumentar a capacidade da operação já pensando nos próximos 10 anos”, explica Adriano Caldas, presidente da Johnson & Johnson Medical Devices no Brasil. 

Guarulhos: posição privilegiada –  “Um time multifuncional considerou vários aspectos para a escolha do local para a instalação do CD como segurança, qualidade, mobilidade, oferta de mão de obra e vias de acesso que facilitassem as entregas, resultando em ganho logístico tanto para a companhia quanto para os hospitais que utilizam nossos dispositivos para cirurgias”, explica ainda o vice-presidente de Logística.

A cidade de Guarulhos é estratégica pois facilita entrada e saída de produtos por conta do acesso à rodovia e ao aeroporto, possibilitando a distribuição dos dispositivos médicos com mais agilidade. “Agora temos uma operação com capacidade e infraestrutura para fazer frente ao nosso crescimento futuro. Estamos preparados para garantir o fornecimento de inovação no setor de saúde, garantindo o alto nível de serviços”, completa.


Negócio da China: presidente Michel Temer busca esquentar comércio bilateral e trazer investidores para as novas concessões no Brasil

Em Pequim, uma rodada de reuniões do presidente Michel Temer com empresários chineses, marcou a busca do Brasil por negócios com o seu principal parceiro comercial.

A comitiva presidencial esteve com representantes da Huawei, HNA e China Three Gorges e State Grid. Temer apresentou o programa de concessões e privatizações do governo federal aos investidores chineses.

As reformas estruturantes no país, como a aprovação do teto para os gastos públicos, a modernização da legislação trabalhistas e a reforma previdenciária, favorecem a atração de investimentos externos. “Estamos trabalhando para desburocratizar o país. A reforma trabalhista foi recebida positivamente pelos investidores, pois traz mais segurança jurídica e estabilidade. Esta é a agenda do governo. A agenda da reforma e da desburocratização”, disse o Ministro Marcos Pereira (MDIC), na comitiva que acompanha o presidente Temer. O ministro cumprirá agenda oficial na China até dia 5 de setembro. Em Pequim, ele acompanhará Temer em reuniões de trabalho com o presidente chinês Xi Jinping, o primeiro-ministro do país e o presidente da Assembleia Popular Nacional. Marcos Pereira também renovará um Memorando de Entendimento (MoU) celebrado entre o Inmetro e a AQSIQ (Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena).

No sábado (2/9), o ministro irá participar do Seminário de Oportunidades de Investimentos, organizado pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Encerrada a agenda em Pequim, a comitiva presidencial seguirá para Xiamen, onde acontecerá a reunião de cúpula do BRICS. 

 Intercâmbio comercial –  A China é o principal parceiro comercial do Brasil. De janeiro a julho deste ano, a balança comercial com o país asiático foi superavitária em US$ 16,3 bilhões.

Nesse período, as exportações brasileiras para a China cresceram 33,1% em relação a 2016, passando de US$ 23,1 bilhões pata US$ 30,8 bilhões. Trata-se do primeiro destino das exportações do Brasil, com 24,3% do total.

A pauta de exportações é composta por produtos básicos (88,4%), seguida de semimanufaturados (8,3%) e manufaturados (3,2%). Entre os principais produtos vendidos para China estão soja (48,3% do total), minérios de ferro (20%) e óleos brutos de petróleo (15,6%).

Em relação às importações da China, houve, de janeiro a julho deste ano, um crescimento de 11,6%, passando de US$ 12,9 bilhões para US$ 14,5 bilhões. O país é, atualmente, o segundo principal fornecedor estrangeiro do Brasil.

Os principais produtos comprados da China são circuitos internos e parte para aparelhos de telefonia (5,3% do total), partes de aparelhos transmissores ou receptores (4,4%) e circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos (3%).