DSV confirma aquisição da UTi

negócio fechadoA empresa de logística dinamarquesa DSV, que já havia manifestado interesse em adquirir o grupo de logística UTi Worldwide, com sede nos EUA, no final de 2014, agora conclui a ação a um preço de cerca de US $ 1,35 bilhão.

A expectativa da DSV é de que o processo, após aprovação dos acionistas da UTi, seja concluído no primeiro trimestre de 2016.

Segundo também apurou com exclusividade o Portal GPA LogNews, no Brasil, o processo está para ser concluído e em breve o negócio será finalizado, pois faltam as aprovações apenas dos Conselhos Monetários de Defesa. A “marca” UTi seguirá ainda com a mesma bandeira.

A DSV procura expansão no mercado de carga aérea e marítima dos Estados Unidos e, segundo especialistas, a aquisição “tem um bom jogo geográfico para a DSV”. As companhias combinadas terão realmente uma presença geográfica mais equilibrada, com aproximadamente 61% da receita na Europa, Oriente Médio e Norte da África, 17% nas Américas, 16% na Ásia (APAC) e 6% na África

Se finalizar o processo de compra entre DSV e UTi, a DSV vai – além de seu próprio negócio com uma receita de USD 7,6 bilhões – assumir uma operadora logística com uma receita de USD 4,4 bilhões. A UTi alcançou esta receita no ano fiscal 2013/2014.

As duas empresas haviam combinado vendas de cerca US $ 13 bilhões em 2014 e terão juntas 44.000 funcionários em 84 países, 848 escritórios e 339 instalações de logística. A DSV disse que espera a margem de lucro da UTi para melhorar de modo que, em “longo prazo”, a nova empresa combinada irá fornecer as mesmas margens que a empresa dinamarquesa.

Fonte: Site DSV



Happy Comex recebeu maior público de suas edições. Confira as fotos.

happy comex abertura newsQualidade de público não bastou na 12ª edição do Happy Comex. O Clube de Networking realizou sua maior edição, desde o primeiro encontro em 2010.

O andar superior da casa Catedral do Chopp, em Campinas, ficou completamente lotado. E o melhor: o público presente contou com seleto público formado por decisores em suas áreas de atuação, como importadores, exportadores e demais players do setor.

 

Confira as fotos:


Hoje tem Happy Comex! Conteúdo e novidades marcam 12ª edição

CATEDRAL SHOWEsta quarta-feira, 23/09, estará reservada para reunir a “nata” do comércio exterior regional na 12ª edição do Happy Comex, na badalada casa Catedral do Chopp, em Campinas, interior de São Paulo.

O melhor Clube de Networking do Brasil, que reúne semestralmente os importadores e exportadores de Campinas e Região, tem o apoio do CIESP local.

Nesta edição, o seleto grupo de convidados formado por cerca de 120 empresários e executivos especialmente selecionados assistirá a um overview sobre o “Plano Nacional de Exportação (PNE): resultados e desafios”, com a apresentação de Anselmo Riso – Diretor de Comércio Exterior do CIESP Campinas, Diretor de Infarestrurura da FIESP e External Affairs, Governamental and Political Relations da Robert BOSCH.

Muitas atrações marcam esta 12ª edição do encontro. Além do excelente conteúdo do tema, a ELOG fará um QUIZ, em um teste de conhecimento, onde o vencedor ganhará uma especial garrafa de vinho. Quem participar também levará um brinde surpresa da empresa. Já a ABV e a Panalpina prometem apresentar um vídeo institucional com as últimas novidades de suas empresas. O vídeo da ABV acaba de ficar pronto e aborda a carga aérea.

Os patrocinadores do evento são: ABV (Viracopos), ELOG, Panalpina e Sindasp. A realização é da GPA Comunicação, sob a batuta de Nilo Peralta.


Plano de Exportação terá incentivos financeiros do PROEX

Anselmo_Riso_Diretor_Comercio_Exterior_Ciesp_crédito_Roncon&Graça_Comunicações 1Tema será apresentado no 12º Happy Comex por Anselmo Riso, diretor de Comex do CIESP Campinas, na próxima quarta-feira, 23/09

O aprimoramento de ferramentas para estimular as exportações é apontado pelo presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, como uma meta que deve ser permanente. “Temos de ter à disposição do exportador os instrumentos de política de comércio exterior para aumentar as exportações”, sugere.

Nesse sentido, Castro aponta o Plano Nacional de Exportações 2015-2018, lançado em junho pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), como um conjunto de “bases para o futuro da política de comércio exterior do Brasil”. “O ministério, dentro das limitações que temos hoje, está tendo uma atuação muito boa. Não só abrindo o mercado dos Estados Unidos, mas facilitando processos e eliminando papel para poupar tempo (no trâmite de exportação)”, afirma.

Mas, Castro sugere o aumento de recursos no âmbito do Programa de Financiamento à Exportação (Proex-Equalização), que ajuda as empresas brasileiras a competir com as estrangeiras no mercado internacional.

Segundo Castro, reforçar o Proex-Equalização é importante para o Brasil poder disputar o mercado dos Estados Unidos com os chineses e os europeus. Ele avalia que a retomada da economia americana, em meio à crise da Europa e à desvalorização da moeda chinesa para manter a competitividade, está levando todos os fabricantes de manufaturados a olharem para os EUA. Neste cenário, ele avalia, os brasileiros precisariam do Proex-Equalização para brigar com os concorrentes. “Estamos fora do mercado (de manufaturados) há muito tempo e estamos entrando agora como um exportador novo”, compara.

O governo brasileiro dobrou os recursos do Proex neste ano em relação ao total desembolsado em 2014. O programa conta com R$ 1,6 bilhão em 2015. O reforço foi parte da reestruturação dos canais exportadores do País, que conta com US$ 2,9 bilhões para operações de pós-embarque financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Esse volume de recursos do chamado BNDES-Exim é US$ 900 milhões maior que o total desempenhado no ano passado.

 

Compromisso – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, diz que o governo “está atento” à reivindicação dos exportadores e afirma que “há o compromisso de garantir este ano um orçamento para o Proex-Equalização que permita a cobertura de todos os pleitos que forem encaminhados”.

A determinação, segundo Monteiro, é da presidenta Dilma Rousseff. “O nosso compromisso é poder atender todas as propostas que foram mapeadas e selecionadas e isso envolve as exportação de serviços e bens. Apesar das limitações, a presidente Dilma garantiu que o Proex terá um orçamento suficiente para a cobertura de toda a demanda nesse ano”, afirma.

De acordo com o ministro, haverá até o final do ano “um crescimento significativo” nos empréstimos. “Temos também registro do Banco do Brasil, que é um importante agente seja do Proex-Equalização, seja do Proex-Financiamento, de que a demanda do crédito para exportação tem sido crescente”, diz.

O ”12º Happy Comex promete reunir a nata do Comex no próximo dia 23/09, em Campinas (SP), e abordará o tema em evidência: “Plano Nacional de Exportação”

O melhor Clube de Networking do Brasil reunirá “Convidados VIP”  no dia 23, a partir das 18h. Para garantir qualidade do público presente, os convites são pessoais e intransferíveis e as confirmações de presença do 12º Happy Comex serão somente por e-mail

A Casa “Catedral do Chopp”, em Campinas, receberá importadores e exportadores, juntamente com os demais players do Comércio Exterior e Logística.

O evento é exclusivo aos convidados, portadores de convite VIP. Anote em sua agenda!

O tema “Plano Nacional de Exportação” terá um overview no encontro. O patrocínio é da ELOG, Panalpina, Sindasp e ABV (Viracopos). O Apoio é do CIESP / Campinas.

 

Ficha Técnica

12º Happy Comex
Data
: 23 de setembro de 2015 – quarta-feira

Local: Catedral do Chopp – Campinas (SP)
Horário: 18h às 22h
Tema – OVERVIEW: RESULTADOS E DESAFIOS – PLANO NACIONAL DE EXPORTAÇÃO (PNE)
Apresentação: Anselmo Riso – Diretor de Comércio Exterior do CIESP Campinas e External Affairs, Governamental and Political Relations da Robert BOSCH

INFORMAÇÕES: (19) 3383-3555

Crédito Foto: Roncon&Graça Comunicações