Novelis anuncia investimento em fábrica no interior de São Paulo

A Novelis Inc., líder mundial em laminados e reciclagem de alumínio, anunciou hoje um investimento de R$ 650 milhões na fábrica de Pindamonhangaba, interior de São Paulo. A expansão da principal unidade da Novelis na América do Sul beneficiará os setores de latas de bebidas e especialidades, com o aumento da capacidade de produção de chapas em 100 mil toneladas/ano e da capacidade de reciclagem em 60 mil toneladas/ano. A expansão elevará a capacidade total da fábrica de Pinda para cerca de 680 mil toneladas/ano e a de reciclagem para 450 mil toneladas/ano.

O projeto contará também com a construção de um sistema de captação de água e com a aquisição de uma área de aproximadamente de 380 mil m2 para futuras expansões.

“O investimento para aumentar a capacidade de produção e de reciclagem reforça nosso compromisso com a América do Sul e com os clientes da região”, afirma Steve Fischer, CEO Global da Novelis Inc. “Nosso foco em estabelecer uma fonte adicional de água nos ajuda a entregar nosso propósito de, juntos, criarmos um mundo sustentável”.

A empresa iniciará oficialmente as obras em fevereiro de 2019 com expectativa de conclusão em 2021. O escopo do projeto inclui aumento de capacidade de produção de placas, laminação a quente e reciclagem, além de melhorias complementares. O projeto deve gerar mais de 50 novos empregos.

“A sustentabilidade é a espinha dorsal do nosso modelo de negócio e o projeto de expansão está totalmente alinhado à essa visão”, afirma Tadeu Nardocci, presidente da Novelis América do Sul. “A fábrica de Pindamonhangaba já é o maior centro de reciclagem e laminação de alumínio da América do Sul. Com a expansão, a Novelis reforça seu compromisso com o setor, consolida sua posição de liderança no país e cria oportunidades de desenvolver soluções inovadoras em parceria com os clientes”, ressalta o executivo.


Indústria 4.0: A era da transformação digital e os impactos no Comércio Exterior

Artigo 

Artigo por Aline Valença de Amorim Vitor *

Com a globalização, multinacionais oferecem seus produtos e serviços em vários mercados do mundo e se antes os clientes compravam apenas o que estava disponível no portfólio, hoje os consumidores impõem seus desejos por um maior valor agregado, personalização e uma melhor experiência pós-venda. Além disso, querem a garantia de que práticas ambientalmente sustentáveis foram utilizadas, operações estão em compliance com as leis e políticas da empresa e que os riscos de falhas foram mitigados. A indústria brasileira está inserida neste contexto e para entregar este resultado busca se inserir nas cadeias globais de valor.

Desde a primeira revolução industrial as empresas passaram por readequações e transformações a fim de obter maior produtividade, eficiência nos processos produtivos e redução de custos. No entanto, essa evolução não refletiu na mesma velocidade nas áreas de suporte às operações. Muitos processos manuais que dependem de planilhas, e-mails, telefonemas e informações que ficam soltas, espalhadas em diversos lugares, são comuns até hoje em grandes empresas, demandando um grande esforço operacional. Porém, a era da transformação digital, também chamada de Indústria 4.0, já começou e estamos atravessando um período onde as mudanças são mais dinâmicas e aceleradas e o impacto dessa revolução será em toda cadeia de produção e demais processos envolvidos na empresa.

Considerando os dados disponíveis no MDIC, o volume de exportação cresceu 9,2% em comparação ao ano anterior (2017) e a importação 21,6% (até set/18). Além do crescimento do comércio internacional o que traz a necessidade de maiores controles, os processos envolvem uma série de exigências regulatórias que torna a operação mais sensível e exposta perante o governo.

Interpretar e acompanhar manualmente todas as exigências e mudanças legais relacionadas ao comércio internacional é algo que demanda um grande esforço, considerando que no Brasil, temos em média 33 alterações legais por mês sendo aplicadas no comércio exterior, imagine todo o trabalho para acompanhar essas mudanças e adaptar os processos, este é um dos exemplos em que a aplicação de tecnologia é a solução.

A quarta revolução industrial traz uma integração de diferentes tecnologias, que garante conectividade entre todas as partes envolvidas no processo, bem como a integração entre diferentes sistemas de forma a garantir a consistência das informações e a certeza de que elas estarão disponíveis no tempo certo para a tomada de decisão, garantindo redução de papel, troca excessiva de e-mails e coleta de dados por telefone, além de manter as atualizações legais e evitar riscos de descumprimento de alguma lei ou política. E outro importante benefício dessa evolução é que os profissionais de comércio exterior que antes eram subutilizados com tarefas repetitivas, poderão ser mais analíticos e ter um papel ainda mais decisivo nas tomadas de decisões.

Novas profissões estão surgindo no mercado de trabalho, por conta destas mudanças, os profissionais precisam se capacitar em novas tecnologias e muitas vezes mudar alguns conceitos.  A área de comércio exterior passa a ser uma área estratégica nas companhias, apoiando a competitividade das empresas.

O uso de tecnologias para soluções de gestão de importação e exportação, possibilita automatizar tarefas e gerenciar os processos mais efetivos, além de garantir compliance com as mudanças legais e tributárias, como o exemplo das mudanças relacionadas ao Acordo de Facilitação do governo que tem o intuito de simplificar as operações de comércio exterior e aumentar o comércio internacional, onde podemos citar o Portal Único de Comércio Exterior que trouxe a DUE (Declaração única de exportação) e LPCO (Licenças, Permissões, Certificados e Outros Documentos a Exportação) e agora a DUIMP (Declaração única de importação).

A utilização de regimes aduaneiros especiais, como RECOF, RECOF-SPED e Drawback, passa ser uma estratégia chave para a garantia de competitividade, pois possibilita obter incentivos diretos nas exportações que ajudam as empresas a ser mais competitivas no mercado externo. Mas, para a gestão desses regimes surge a necessidade de um controle eficiente de fluxo de caixa e das operações como um todo, tornando a tecnologia uma aliada para garantir o compliance e também uma alternativa para sair da crise interna.

Um dos grandes avanços da revolução 4.0 é a adoção da computação na nuvem (Cloud) nesses processos, que vem democratizando o acesso e velocidade de implementação de novas aplicações, já que grandes investimentos internos em hardware, software e infraestrutura já não são mais necessários. Antes a nuvem era vista como um risco de segurança, mas hoje o investimento em segurança aplicado por empresas especializadas e data centers, mostram que podem ser muito mais seguros que o modelo tradicional, além de oferecer um leque de outras tecnologias, como big data & analytics, inteligência artifical, etc, como parte do seu portfólio de soluções. Assim o investimento em TI pode ser mais focado naquilo que pode realmente transformar o negócio.

Aplicações para gestão de comércio exterior, incluindo inteligência artificial para determinação de classificação fiscal de produtos pode auxiliar empresas a reduzir o tempo gasto em atividades de classificação, além de garantir o compliance, evitar riscos de multas e outras penalidades.

Outra tecnologia como big data, permite as empresas a validação da reputação dos parceiros de negócio comerciais (clientes e fornecedores), por meio da qualidade de fontes de informações de empresas e indivíduos.

Diante dessas transformações que a Indústria 4.0 está trazendo para o mercado, este é o momento das empresas reverem os processos e se adequar a essa nova realidade, a fim de identificar pontos que precisam ser ajustados, automatizados e buscar soluções, que garantam eficiência, compliance e principalmente ajudam a mater a competitividade em um mercado tão dinâmico, pois outras empresas já estão a frente dessas mudanças e em um curto espaço de tempo as empresas que não se adequarem poderão perder espaço no mercado e as novas oportunidades que estão por vir.

*Aline Valença de Amorim Vitor
Solution Especialist
Thomson Reuters – Brasil

Viracopos anuncia os mais eficientes de sua cadeia logística

Confira os vencedores do Prêmio Eficiência Logística, entregue aos destaques de 2018, nesta quinta-feira(8), em Campinas (SP)

 

Com a presença do Prefeito de Campinas Jonas Donizette e do Presidente da ABV(Aeroportos Brasil Viracopos), Gustavo Müssnich, foi entregue ontem no Hotel The Royal Palm Plaza, em Campinas, o Prêmio Eficiência Logística, entregue aos destaques de 2018 no Aeroporto de Viracopos.

Embraer, Lufthansa Cargo, Panalpina, Servimex, Phenix e Volkswagen do Brasil foram algumas das empresas vencedoras na 6ª edição do Prêmio Viracopos Excelência Logística, que aconteceu na noite desta quinta-feira (08/11), na Casa de Campo do Royal Palm Plaza, em Campinas (SP).

Nesta 6ª edição, concorreram ao Prêmio Viracopos 85 empresas importadoras, 22 Agentes de Carga, 27 Despachantes Aduaneiros, 30 Transportadores Rodoviários e 11 Companhias Aéreas de Carga. Os participantes figuraram no Ranking de Eficiência Logística de Viracopos no período avaliado (de agosto de 2017 a julho de 2018).

As 85 empresas importadoras concorrentes figuraram no Ranking de Eficiência em 7 segmentos: Automotivo; Diversos, Farmacêutico, Metalmecânico, Tecnologia, Regimes Especiais (embarque imediato TC-1) e Regimes Especiais (embarque imediato – TC-6).

A Embraer recebeu os prêmios de Melhor Importador 2018 e de Melhor Planta 2018. Já a Lufthansa Cargo ficou com o prêmio de Melhor Companhia Aérea.

A Panalpina conquistou o prêmio de Melhor Agente de Carga, enquanto a Servimex ganhou o de Melhor Comissária de Despacho Aduaneiro. O Melhor Transportador Rodoviário foi a Phenix. A Volkswagen do Brasil venceu na categoria Destaque Exportador.

Dentro da modalidade de Melhor Cadeia Logística foram premiadas empresas em sete segmentos: Automotivo, Diversos, Farmacêutico, Metalmecânico, Tecnologia, Regimes Especiais (Embarque Imediato – TC-1) e Regimes Especiais (Embarque Normal – TC-6).

Nestes segmentos foram vencedoras as empresas: Wabco do Brasil (Automotivo), Embraer (Embarque Imediato TC-1), Cisa Trading (Diversos), Philips (Farmacêutico), Embraer (Embarque Normal TC-6), A100 Row (Tecnologia) e Sandvik do Brasil (Metalmecânico). (Veja abaixo a lista completa)

A premiação foi auditada pela RRA Auditoria e Consultoria e contou com o apoio institucional do CIESP Campinas e com o patrocínio das empresas Azul Cargo Express, Unimed Campinas, Grupo GPS, Grupo Corpus e Passarinho Não Bebe.

A novidade neste ano foi a premiação para empresas que figuraram em segundo e terceiro lugar na cadeia logística. Outra novidade apresentada no evento foi o selo especial do Prêmio Viracopos. As empresas vencedoras e certificadas com segundo e terceiro lugar receberão este selo do aeroporto para utilização em ações de marketing e nas redes sociais.

Crédito da foto: Ricardo Lima/Viracopos

 

Relação dos vencedores do Prêmio Viracopos Excelência Logística 2018:

OS MELHORES DO ANO – 2018

Melhor Importador – Embraer S.A.

Melhor Planta – Embraer S.A.

Melhor Transportador Rodoviário – Phenix Transporte de Cargas Ltda.

Melhor Comissária de Despacho Aduaneiro – Servimex Logística Ltda.

Melhor Agente de Carga – Panalpina Ltda.

Melhor Cia. Aérea – Lufthansa Cargo AG.

 

DESTAQUE EXPORTADOR

Volkswagen do Brasil Indústria de Veículos Automotores Ltda.

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: AUTOMOTIVO

1º Lugar

WABCO DO BRASIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE FREIOS LTDA.

Agente de Carga: Schenker do Brasil Transportes Internacionais Ltda.

Comissária de Despachos Aduaneiros: Panalpina Ltda.

Transportador Rodoviário: TSA Cargo

 

2º Lugar

Kostal Eletromecânica Ltda

3º Lugar

Moto Honda da Amazônia Ltda

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: DIVERSOS

1º Lugar

Cisa Trading S.A.

Agente de Carga:  DHL Global Forwarding (Brazil) Logistics Ltda.

Comissária de Despachos Aduaneiros:  Martins Despachos e Assessoria em Logística Eireli

Transportador Rodoviário:  TNT Mercúrio Cargas e Encomendas Expressas S.A.

 

2º Lugar

Líder Signature S.A.

3º Lugar

Sumitomo do Brasil Ltda

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: FARMACÊUTICO

1º Lugar

Philips Medical Systems Ltda

Agente de Carga:  UPS SCS Transportes (Brasil) S.A.

Comissária de Despachos Aduaneiros:  Haidar Transportes e Logística Ltda.

Transportador Rodoviário: Haidar Transportes e Logística Ltda.

 

2º Lugar

Siemens Healthcare Diagnósticos S.A.

3º Lugar

Wama Produtos para Laboratório Ltda

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: TECNOLOGIA

A100 ROW Serviços de Dados Brasil Ltda

Agente de Carga: Schenker do Brasil Transportes Internacionais Ltda.

Comissária de Despachos Aduaneiros: Schenker do Brasil Transportes Internacionais Ltda.

Transportador Rodoviário: Glovis Brasil Logística Ltda.

 

2º Lugar

HP Brasil Ltda

3º Lugar

IBM Brasil Ltda

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: METALMECÂNICO

1º Lugar

Sandvik do Brasil S.A Industria e Comércio

Agente de Carga: DHL Express (Brazil) Ltda.

Comissária de Despachos Aduaneiros:  Haidar Transportes e Logística Ltda.

Transportador Rodoviário:  Haidar Transportes e Logística Ltda.

 

2º Lugar

Hexis Científica Ltda

3º Lugar

Xerox Comércio e Indústria Ltda

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: REGIMES ESPECIAIS TC-1

Embraer S.A.

Agente de Carga: Panalpina Ltda.

Comissária de Despachos Aduaneiros: Servimex Logística Ltda.

Transportador Rodoviário: Phenix Transporte de Cargas Ltda.

 

2º Lugar

Tetra Pak Ltda

3º Lugar

Ericsson Telecomunicações S.A.

 

CADEIA LOGÍSTICA – SEGMENTO: REGIMES ESPECIAIS TC-6

1º Lugar

Embraer S.A.

Agente de Carga: Panalpina Ltda.

Comissária de Despachos Aduaneiros:  Servimex Logística Ltda.

Transportador Rodoviário: Phenix Transporte de Cargas Ltda.

 

2º Lugar

Compalead Eletrônica do Brasil Ltda

3º Lugar

Ericsson Telecomunicações S.A

 


Embraer foi a grande vencedora e destaque da noite de premiação em Viracopos

Referência no Comércio Exterior Brasileiro, a EMBRAER tem sido convidada para operacionalizar todos os projetos-piloto do Governo Federal, neste setor. Em Viracopos, essa supremacia se materializou com a quantidade de conquistas na noite festiva, com 04 troféus.

“Reconhecer o bom trabalho das empresas é um incentivo fundamental para melhorar a cada dia o setor de cargas no aeroporto e aperfeiçoar toda a cadeia logística. Dentro desta proposta, o Prêmio Viracopos Excelência Logística visa estimular o desempenho das empresas que atuam no comércio exterior, promovendo a melhoria contínua de suas atividades”, disse o diretor-presidente de Viracopos, Gustavo Müssnich, sobre o evento.

Na foto, momento em que Gustavo Müssnich entrega uma das premiações para Claudenir Pelegrina, diretor de logística da EMBRAR, no flagrante do fotógrafo Ricardo Lima/Viracopos.


Receita Federal e Governo do Estado estarão em Atibaia (SP), na próxima terça-feira, 13/11, com palestras

“Fórum Atibaia de Comércio Exterior e Logística” reunirá profissionais e executivos do setor, no Alegro Hotel, às margens da Rodovia D. Pedro

 

O interior de São Paulo será palco de grandes debates sobre o comércio exterior e a logística na próxima terça-feira, dia 13 de novembro. Atibaia se encontra em posição estratégica. A cidade está distante 60 quilômetros de São Paulo, Campinas e Guarulhos e a 90 quilômetros de São José dos Campos. É cortada por importantes rodovias do Brasil – a Fernão Dias e a Dom Pedro I – e está a menos de 100 quilômetros das rodovias dos Bandeirantes, Anhanguera e Dutra. A cidade está próxima ainda dos aeroportos internacionais de Guarulhos (68 km) e Viracopos (82 km).

O Fórum Atibaia de Comércio Exterior e Logística trará grandes nomes para debater o setor para toda a Região. Além do reconhecido potencial produtor agrícola, com flores e morango, a cidade também tem se destacado pela atração de investimentos e pela implantação de indústrias e serviços na cidade. As 700 indústrias instaladas no local respondem por 1/3 do PIB do Município: R$ 5 bilhões. Grandes condomínios logísticos completam as opções para a cadeia na Região.

 

CENÁRIO 2019 – Para o Fórum são aguardados renomados nomes para discutir temas relevantes, como as novidades da Receita Federal para o Projeto OEA (Operador Econômico Autorizado), com a presença Cesar Bueno, Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil. Novidades sobre a DU-IMP e Cases de Sucesso completam os debates.

Às 1430h, um dos destaques: um SUPER PAINEL DE ENCERRAMENTO: “Atração de investimentos, desenvolvimento de negócios e promoção de exportações – Cenário 2019: expectativa para o Comércio Exterior Brasileiro”

                                

Palestrante 1: Paulo Brusqui – Economista e Coordenador do Programa de Exportação da Investe SP – Governo do Estado de São Paulo – “Atração de investimentos, desenvolvimento de negócios e promoção de exportações”

– Palestrante 2: Ângela Santos – Consultora Sênior de Comércio Exterior – Thomson Reuters – “Cenário 2019: expectativa para o Comércio Exterior Brasileiro”

O evento tem a assinatura da “GPA+ Comunicação” e o Apoio da Prefeitura de Atibaia, da Associação Comercial e Industrial (ACIA). As marcas de valor que assinam o evento são: SINDASP (Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de São Paulo), AB&B, Atuali Comex, EGA Solutions, UNIFAAT e Aurora EADI.

O evento acontece nas modernas instalações do ALEGRO HOTEL (FOTO), ás margens da Rodovia D. Pedro. A entrada é franca e o estacionamento gratuito, porém as vagas são limitadas.

Mais informações: (19) 99299-1987

Inscrições por e-mail: mkt@gpamais.com.br

CLIQUE E CONFIRA AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA